20 de jul de 2009

O Valor da Amizade

Costuma-se dizer que ninguém pode escolher a família em que nasce. Mas é possível seleccionar os amigos, que são como a extensão da vida. A amizade, um dos sentimentos mais nobres que existem, nasce de forma espontânea, pura, e vai se desenvolvendo até chegar à maturidade. O amigo é um dom precioso. A própria Bíblia diz que "quem encontrou um amigo encontrou um tesouro". A amizade é um sentimento limpo, verdadeiro e profundo. Leva a pessoa ao apoio e ao incentivo, quando as coisas estão bem. E à correção, com muito jeito e carinho, quando estão erradas.

Amigo é aquele que está sempre presente, que adivinha o pensamento do outro, sem melindrá-lo; que é sincero e faz da amizade um ponto positivo na vida. No relacionamento diário, entra-se em contato com muitas pessoas. Mas o amigo torna-se alguém diferente, especial e único. E visto com outros olhos - uma pessoa por quem a gente torce, vibra e sofre. Está presente nos bons e nos maus momentos; é amado e tratado com muita sinceridade. Além da afinidade, a amizade sólida baseia-se no convívio, na compreensão e na manifestação desses sentimentos profundos.Por essa razão, é um processo. Não nasce pronta. A relação deve ser construída e trabalhada dia a dia, por ambas as partes, porque exige reciprocidade. É como cultivar uma
planta que, se não for regada com freqüência, morre. A amizade, quando não cultivada, desfalece, esfria e acaba. Quem gosta de outra pessoa não deve ter orgulho. Quando se é amigo, releva-se os defeitos e até o gênio difícil e a impaciência do outro. A compreensão é uma característica da amizade.

Os sentimentos são livres e descontraídos, expressos sem cobranças. Numa grande amizade, as pessoas são fiéis. Ao amigo se fazem confidências, que, às vezes, não foram feitas a ninguém. Há uma entrega do que se é, pois não há traição nem mesquinharias. O amigo sempre está pronto para tudo e se pode contar com ele em qualquer momento ou situação de vida. Mais que um irmão, o amigo é a oportunidade que Deus dá a cada um para encontrar sua metade. Com ele, a pessoa pode se revelar verdadeiramente: dizer não, sem medo de ferir; sim, sem medo de bajular; e as verdades, sem medo de ofender. Isso porque se acredita na amizade, por ela ser isenta de paixão. Num relacionamento assim, não existe inveja, orgulho, rancor ou grandes mágoas.

A verdadeira amizade é eterna, como o amor. Com o amigo, inexiste a censura e o medo de ser por ele conhecido a fundo. Nesse relacionamento, tudo vem à tona: as fraquezas, os limites, os defeitos mas também as grandezas de alma e os aspectos positivos. Tudo é aceito, partilhado e vivenciado para o crescimento de ambos. A amizade é uma ligação espiritual, que deixa a impressão de que sempre se conheceu o amigo. Isso ocorre porque ele preenche a outra metade da pessoa. Da mesma forma que se encontra o amor, encontra-se também o amigo. Trata-se de uma preferência de identificação, de carinho, de ternura e de vontades.

Atualmente, existem poucas pessoas que têm amigos e se fazem amigas. Há, também, as que vivem no seu próprio mundo, em que ninguém entra. Outras, por timidez, insegurança ou desconfiança, temem se arriscar, privando-se de uma das melhores coisas que Deus criou. Aqueles que são profundamente infelizes com certeza não conseguiram experimentar a alegria de uma verdadeira amizade. Não se abriram para o outro e morrerão sufocados pelo seu egoísmo. A infelicidade existente no mundo resulta da incapacidade de as pessoas criarem vínculos de amizade e confiarem nas outras. Elas pensam só em si mesmas, revelando um egoísmo exacerbado. Não se dão ao trabalho de tentar construir uma amizade. Não se arriscam. Preferem ficar sozinhas. Há uma carência de sentimentos positivos relacionados às outras pessoas. Porque é tão difícil alguém encontrar o lado positivo do outro? Quando os homens descobrirem o valor da amizade, a vida se tornará melhor, porque vale a pena sentir a felicidade de contar incondicionalmente com alguém.

Feliz dia do Amigo

Assim como todas as datas especiais merecem comemorações, com o Dia do Amigo não poderia ser diferente. Hoje é um dia de demonstração: demonstração de afeto; demonstração de amor; demonstração de respeito; demonstração de admiração. Hoje é um dia de dizer aos nossos amigos o quanto os amamos e mostrar-lhes o quanto são especiar e importantes para nossas vidas. Hoje é um dia no qual devemos agradecer a Deus por esta graça que ele nos deu: nossos amigos. Um feliz Dia do Amigo para todos.


Amizade é para Sempre?

O valor de um amigo

Ninguém vive sem amigos. Em todas as sociedades, em todos os tempos, a amizade tem sido considerada um valor essencial, pois todo ser humano precisa de alguém em quem possa confiar, com quem confidenciar problemas e partilhar alegrias.

Mas será que todo mundo sabe ser amigo? Será que é fácil encontrar um bom amigo? Será que um amigo dura para sempre? Como se rompe uma amizade?

Uma das maiores felicidades é quando conseguimos ter amizade íntima com as pessoas com quem vivemos todos os dias: significa ter confiança para trocar confidências dentro da própria família e conversar sobre os assuntos que nos afligem ou nos alegram. Isso depende muito da atitude que os mais velhos têm. Se eles só sabem gritar ou punir, fica difícil o filho ou o aluno se abrir e confiar. Mas o adolescente e o jovem também podem tentar um diálogo amistoso para criar uma relação de confiança e carinho.

Também acontece de alguém procurar companhias apenas para apoiar suas fraquezas. Há gente que acha que só é amigo quem concorda com tudo. Quem quer amigos assim não quer amizade, quer bajulação. Amigos podem e devem dar bons conselhos, quando preciso, e ficar preocupados quando o outro está enveredando por um caminho errado. Por isso, às vezes, alguns jovens não gostam de ter amizade com os mais velhos, pois sabem que receberão conselhos que às vezes não querem ouvir.

Uma pergunta surge no coração das pessoas: a amizade um dia acaba? Quem já foi nosso verdadeiro amigo, um dia poderá deixar de ser? Amizade verdadeira nunca acaba, pois não deixamos de gostar de alguém. Se acabar, é porque não era amizade. Se alguém trair, ferir, desrespeitar gravemente um amigo é porque nunca foi amigo de fato.

Os caminhos da vida é que podem afastar os amigos. Mudanças de cidade, de país, de rumos profissionais, questões familiares, a correria do mundo contemporâneo - tudo isso pode distanciar quem se gosta. Mas não é que a amizade tenha acabado. Quando há um reencontro, tudo pode continuar como antes. E a alegria pode redobrar por se ter novamente próximo alguém que a vida havia afastado.

19 de jul de 2009

Dez Mandamentos para a Paz na Família


1. Tenha fé e viva a Palavra de Deus, amando o próximo como a si
mesmo.

2. Ame-se, confie em si mesmo, em sua família e ajude a criar um
ambiente de amor e paz ao seu redor.

3. Reserve momentos para brincar e se divertir com sua família,
pois a criança aprende brincando, e a diversão aproxima as pessoas.

4. Eduque se filho através da conversa, do carinho e do apoio e
tome cuidado: quem bate para ensinar está ensinando a bater.

5. Participe com sua família da vida da comunidade, evitando as
más companhias e diversões que incentivem a violência.

6. Procure resolver os problemas com calma e aprenda com as
situações difíceis, buscando em tudo o seu lado positivo.

7. Partilhe seus sentimentos com sinceridade, dizendo o que você
pensa e ouvindo o que os outros têm para dizer.

8. Respeite as pessoas que pensam diferente de você, pois as
diferenças são uma verdadeira riqueza para cada um e para o grupo.

9. Dê bons exemplos, pois a melhor palavra é o nosso jeito de
ser.

10. Peça desculpas quando ofender alguém e perdoe de coração
quando se sentir ofendido, pois o perdão é o maior gesto de amor
que podemos demonstrar.

A Humildade

Boa noite. Falo sobre humildade no lar.
Eu, quando aqui estive, nunca me dei conta de saber o que é humildade, e muito menos me preocupei em praticá-la.
Irmãos, a humildade deve estar presente em todos os momentos da nossa existência terrena.
Fui uma pessoa que teve todas as oportunidades de ser feliz aqui, mas como a humildade estava longe dos meus atos, vivia sempre mau humorada, implicava com tudo, fui muito enérgica com meus filhos, não tolerava que eles brincassem dentro de casa, estava sempre chamando a atenção deles para que não tirassem nada fora do lugar.
Companheiros, hoje posso lhes dizer o quanto errei em minha passagem terrena.
Como seria diferente minha existência aqui, se eu, em vez de implicar tanto com meus filhos, tivesse participado com eles de suas brincadeiras.
Eles cresceram, e crescidos procuraram se afastar do lar em que não se sentiam felizes por minha culpa. Sim companheiros, minha culpa por não ter tido paciência e humildade com eles.
Só pude dar conta dos meus atos, quando eles não mais conversavam comigo, a não ser o necessário. Fui ficando cada vez mais triste e amargurada por sentir que fui a causadora desse abandono.
Companheiros, agora posso passar para vocês o quanto é importante o amor, o carinho, a atenção e a paciência para com nossos filhos. Essas qualidades é que poderão sustentar uma família em equilíbrio e harmonia.
Os filhos crescem tão rapidamente, que num piscar de olhos eles já se transformaram em adolescentes e adultos, e o que recordarão da infância será tudo o que nós pudermos dar-lhes de bom, de equilíbrio, de confiança, de amor e humildade.
Pratiquemos a humildade em primeiro lugar no nosso lar, envolvendo nossos filhos, para que ao crescerem, também façam uso dela para com todos que os cercarem, e que possam lembrar dos seus pais com carinho e agradecimento pelos momentos felizes que dedicamos a eles.
Muita paz.

18 de jul de 2009

Oração

Tomai, Senhor, e recebei
Toda a minha liberdade,
A minha memória também.
O meu entendimento
E toda a minha vontade,
Tudo o que tenho e possuo,
Vós me destes com amor.
Todos os dons que me destes,
Com gratidão vos devolvo,
Dispondo deles, Senhor,
Segundo a vossa vontade.
Dai-me somente
O vosso amor, vossa graça,
Isso me basta,
Nada mais quero pedir.

Santo Inácio de Loyola

1º Encontro de Catequistas de Crisma

O que é catequese?


Quando se fala de catequese, muitos pensam na catequese que prepara as crinças à Primeira Eucaristia. Catequese hoje, não se confunde com o “dar catecismo”. A catequese faz parte da ação evangelizadora da Igreja que envolve aqueles que aderem a Jesus Cristo. Catequese é o ensinamento essencial da fé, não apenas da doutrina, como também na vida, levando a uma consciente e ativa participação do mistério litúrgico e irradiando uma ação apostólica. Segundo o Documento de Puebla e a afirmação dos Bispos do Brasil, a catequese é um processo de educação da fé em comunidade, é dinâmica, é sistemática e permanente.


A catequese é:


  • A missão primordial da Igreja, que nasce da fé e se desenvolve na catequese permanente;
  • Uma missão que enriquece a quem a desempenha. Quando catequizamos, nós somos os primeiros catequizados;
  • Um anúncio e serviço para provocar um vivo contato com Jesus Cristo, nas dimensões pessoal e comunitária para uma vivência cristã levando a um compromisso.

Como tornar-se catequista


Iniciamos dizendo que ser catequista não é fácil, é muito mais fácil ensinar umas respostas do catecismo, para guardá-las na memória, do que fazer catequese. A verdadeira catequese não é teórica, é vida, é ação. Programando-nos, conhecemos melhor a realidade que queremos transformar com a palavra de Deus.


O que é ser catequista?


Quando não vemos resultados imediatos da ação catequetica pensamos que seja inútil catequizar.

Muitos catequistas começam a catequese com certo entusiasmo e nas primeiras dificuldades desistem. É necessário ter paciência e dedicação. A catequese é uma caminhada ou uma ação contínua, como processo educativo da fé. O catequista tem como missão educar a fé de toda a comunidade para que, catequizada, seja catequizadora.

“O catequista é enviado. Sua missão possui duplo sentido: é enviado por Deus, constituído ministro da palavra pelo poder do Espírito Santo, e é enviado pela comunidade, pois é em seu nome que ele fala. Integrado na comunidade, conhece bem sua história e suas inspirações, sabe animar e coordenar a participação de todos”.


O catequista é uma pessoa que:


  • Crê em Jesus Cristo e segue o seu evangelho;
  • Responde a sua vocação de batizado e de crismando;
  • É indicado e acolhido pela comunidade. Isto quer dizer que é membro atuante e participante da comunidade e dá testemunho de vida cristã;
  • Busca com dedicação a formação necessária para esta missão. Quando aceitamos ser catequistas tomamos consciência de que a nossa opção é uma resposta ao chamado de Jesus Cristo. Como os apóstolos, podemos continuar o projeto de Jesus: “levar a boa notícia aos pobre e libertar os oprimidos…” (Lc 4, 18). A catequese nos compromete a ajudar os nossos irmãos e irmãs nos caminhos da fraternidade, da justiça, da liberdade e da paz. Assim podemos dizer que a nossa opção é por Cristo e pelos irmãos.


Quando avaliamos a nossa catequese devemos nos perguntar se estamos buscando esses caminhos que levam a criar uma nova sociedade, segundo o projeto de Deus.

4 de jul de 2009

Colcha de Retalhos

Senhor,

Outro dia fiz uma colcha de retalhos. Todos os restinhos de pano que guardei iam servir. Ao pegar cada pedaço, recordava-me de pessoas, acontecimentos... Como se cada um tivesse sua história para contar. Fui costurar. Cores que à primeira vista não combinavam, padrões e desenhos totalmente diferentes, tudo se juntou.
A colcha ficou pronta. E como ficou bonita! E fico pensando:
Tu criaste todos os seres diferentes. Ninguém é igual ao outro. Nada de repetição, de monotonia. E não são diferentes só fisicamente. Todos pensam diferente, sentem diferente, agem diferente. Um completa o outro. Um apóia o outro. Que maravilha é uma colcha de tantos seres diferentes, formando a humanidade. Por que quero que todos sejam iguais, pensem igual, sintam igual? Eu sou um pedacinho no grande conjunto. Embelezo sua criação de um determinado modo. Outros realçam outras cores, outros padrões. Importante é querer ser costurado aos outros retalhos e não ficar isolado. Todos unidos na procura da união e da fraternidade, cada um do seu modo, formam a grande colcha da unidade da pluriformidade.

Obrigado Senhor.